EnglishMaximedical
001.jpg

MÁ FORMAÇÃO ARTERIO-VENOSAS

Caso

MÁ FORMAÇÃO ARTERIO-VENOSAS se caracteriza por uma comunicação anômala entre o sistema arterial e venoso sem tecido interposto. Essa comunicação pode ser direta denominando-se fístula AV ou com a formação de um enovelado vascular denominado nidus. Desde o ponto de vista hemodinâmico a comunicação faz com que não exista resistência e a pressão arterial é transmitida para o setor venoso. As malformações arteriais podem provocar problemas clínicas importantes como isquemia com necrose tissular, dor, ulceração de pele e hemorragia como conseqüência da hipertensão venosa (mecanismos mais aceito) ou pelo robô de fluxo arterial. É definida como um conjunto de artérias e veias malformadas no cérebro e na circulação periférica que estão interligados de maneira indireta, formando um plexo (rede de pequenos vasos ou de maneira direita) o que formando uma fístula. A comunicação direta e abrupta entre uma artéria e uma veia malformada sem a existência de uma rede de capilares entre ambos, o que resultaria numa mudança mais natural e hogênea da fase arterial para a venosa. A etiologia da MAVC deve-se a um defeito durante a formação e diferenciação dos vasos encefálicos no período embrionário intraútero.

 

Tratamento

MERIT possui produtos para a linha de embolização. As EMBOSPHERES são agentes embólicos utilizados neste processo que, ao serem injetados, causam oclusão intencional de artérias ou veias.